marcha equina fortaleza fisioterapia.jpg

Fisioterapia para

Marcha Equina

Marcha equina é um termo usado para descrever crianças que andam na ponta dos pés sem causa conhecida. Uma avaliação minuciosa é importante para determinar se o andar dos pés é sinal de uma preocupação. Muitas vezes, a marcha equina se resolve por si só, no entanto, se não cuidada no início, a criança pode ter alterações posturais, dores nas pernas e pés e quedas frequentes. O tratamento realizado na fisioterapia pode ajudar a abordar e prevenir esses problemas, bem como manter a flexibilidade nos músculos e melhorar a marcha dos pés.

Perguntas frequentes

O que causa a marcha equina?


A causa da marcha equina é desconhecida e continua a ser um "diagnóstico de exclusão", onde outras patologias são descartadas.




Como eu sei se meu filho tem a marcha equina?


Caminhar na ponta dos dedos dos pés é um padrão comum visto em crianças nos estágios iniciais da caminhada (antes dos dois anos de idade). Depois disso, se a criança ainda apresentar esse padrão, recomenda-se uma avaliação para determinar se isso é um sinal de maior preocupação com o desenvolvimento. É importante considerar todos os aspectos do desenvolvimento do seu filho e pensar se existem outras áreas que não são normais.

Você deve consultar seu ortopedista / fisioterapeuta se tiver notado qualquer um dos seguintes sintomas associados à caminhada da criança: caminhada na ponta do pé após os dois anos de idade; a criança anda claudicando (mancando); rigidez excessiva nas pernas; fraqueza muscular (por exemplo, dificuldade de subir e descer, se apoiar com o braços para levantar...); atraso no desenvolvimento (em qualquer uma ou todas as áreas, incluindo desenvolvimento motor e de fala e linguagem); interesses restritos e fixos de comportamentos repetitivos ou interação social falha, ou quedas e desequilíbrios freqüentes.

As condições que podem estar associadas ao sintoma do pé equino são: paralisia cerebral, neuropatia periférica, distrofia muscular, distúrbios do espectro do autismo ou tendões encurtados congenitamente.. Um profissional de saúde (pediatra ou fisioterapeuta) pode avaliar cuidadosamente seu filho para essas condições. Quando essas outras causas forem descartadas, seu filho provavelmente receberá um diagnóstico de marcha equina.




Como a Fisioterapia pode ajudar a tratar a Marcha Equina?


Seu fisioterapeuta pode ajudar com o diagnóstico da marcha equina, realizando uma avaliação completa do seu filho. O profissional testará diferentes exercícios como andar, correr, pular e subir e descer para determinar a quantidade de movimento e a força que eles apresentam. A avaliação é importante para verificar a necessidade de encaminhamento para outro profissional de saúde (ortopedista, pediatra). Isso também ajudará a orientar o tratamento de fisioterapia. Se seu filho já tem o diagnóstico de pé aquino, a fisioterapia pode ser muito eficaz no tratamento de problemas que possam surgir (por exemplo, encurtamento, dor, quedas) e, geralemente, melhorar a capacidade do seu filho nas caminhadas com o calcanhar. O tratamento pode incluir: alongamento, incluindo músculos da panturrilha e isquiotibiais para melhorar o comprimento muscular e minimizar a dor e as quedas; controle motor e exercícios de fortalecimento: isso envolve exercícios para fortalecer os grupos musculares para que seu filho seja mais capaz de andar com o calcanhar; estratégias de mudança de hábito, incentivar um padrão normal de caminhada e treinar seu filho para andar com a marcha correta. A fisioterapia pode tratar a sua dor e passar exercícios para fortalecer os músculos do pé. Nos casos em que o tratamento conservador não é eficaz, às vezes pode ser necessário considerar um tratamento cirúrgico com seu médico.




Isso será prejudicial para o meu filho a longo prazo?


Evidências mostram que pode haver alguns efeitos a longo prazo de andar com a ponta dos pés. Os efeitos incluem quedas regulares; desenvolvendo anormalidades estruturais nos ossos, músculos e ligamentos das pernas à medida que envelhecem; encurtamento nos músculos da panturrilha e da coxa; aumento do risco de lesões no tornozelo; dor no pé ou problemas na idade adulta que podem ter um impacto negativo na marcha, função e qualidade de vida; e impacto nas atividades físicas




Quanto Tempo até eu Me Sentir Melhor?


Os resultados para o neuroma de Morton são extremamente variáveis ​​e dependem da gravidade do caso. Para casos leves, somente com alterações simples, como mudança de calçado, os sintomas podem desaparecer dentre um ou dois meses. Casos mais complexos podem exigir injeções e pelo menos seis meses para resolução completa.





Você pode agendar sua fisioterapia ainda hoje

Basta acessar nosso agendamento online

Simples, rápido e sem espera