top of page

Terapia por ondas de choque para tendinopatia/tendinite calcificada - Fortaleza


1. O que é tendinopatia calcificada do ombro?

A tendinopatia calcificada do manguito rotador (músculos profundos e tendões ao redor da articulação do ombro) é uma condição comum com uma taxa de incidência relatada de 2,5 a 7,5% (Chianca et al, (2018). Pesquisas demonstraram que entre 10 a 20% de tendinopatia calcificada os pacientes têm evidência de calcificação em ambos os ombros. A maioria das massas calcificadas (80%) está localizada no tendão supraespinal, 15% no tendão infraespinhal e 5% no tendão subescapular (veja a imagem abaixo). O desenvolvimento de um ombro calcificado A tendinopatia geralmente ocorre na 4ª e 5ª década de vida e afeta mais as mulheres (70%) do que os homens (30%).


2. O que causa a tendinopatia calcificada do ombro?

A causa subjacente da tendinopatia calcificada não é conhecida, no entanto, acredita-se que seja instigada pela transformação de células chamadas tenócitos (usadas na produção de tecido tendinoso) em células condrócitos (usadas na produção de cartilagem). Acredita-se que essa conversão inicie a produção de cálcio (osso) dentro da estrutura do tendão (Chianca et al, 2018).


4. Como tratamos a tendinopatia calcificada do ombro?

Existem duas opções de tratamento baseadas em evidências disponíveis para você tratar sua tendinopatia calcificada. Normalmente aconselhamos primeiro o tratamento menos invasivo; terapia por ondas de choque, mas isso dependerá da sua situação específica. Os prós e contras de ambas as opções de tratamento serão discutidos com você.


Terapia por ondas de choque – ondas de choque é uma abordagem não invasiva para o tratamento da dor da tendinopatia calcificada e será discutida com mais detalhes neste blog.

Injeção/lavagem com corticoite – esta é uma técnica de injeção realizada por profissional médico que é utilizada para quebrar os depósitos de cálcio. Para mais informações sobre o procedimento consulte um ortopedista de sua confiança.


A apresentação clássica da tendinopatia calcificada é o início rápido de dor intensa sem motivo aparente ou lesão. Isso causa uma redução significativa em sua amplitude de movimento e limita sua capacidade de realizar tarefas simples, como vestir e despir.


Para diagnosticar tendinopatia calcificada requer um ultra-som ou uma ressonância magnética. A ultrassonografia é melhor que a ressonância magnética para demonstrar a calcificação dentro dos tendões do manguito rotador. A varredura irá determinar o tamanho, forma e localização do depósito calcificado.


4. Como funciona a terapia por ondas de choque para tendinopatia calcificada do ombro?


A terapia por ondas de choque cria uma série de ondas sonoras potentes que produzem uma pequena dose de microtrauma controlado direto no tendão calcificado. A pesquisa mostrou que a terapia por ondas de choque estimula o processo natural de cicatrização do corpo, induz a fragmentação dos depósitos de cálcio dentro do tendão e dessensibiliza as terminações nervosas locais, causando redução da dor e dos sintomas (Chianca et al., 2018).


5. A terapia por ondas de choque é eficaz para tendinopatia calcificada do ombro?

O uso da terapia por ondas de choque para tendinopatia calcificada é bem apoiado.



A terapia por ondas de choque da tendinopatia calcificada provou ser uma opção de tratamento não invasivo clinicamente eficaz para a tendinopatia calcificada. Schmitz et al (2015) realizaram uma revisão sistemática para investigar a eficácia e segurança do tratamento por ondas de choque para o tratamento de condições ortopédicas. Os resultados deste extenso estudo relataram que a onda de choque é uma técnica de tratamento segura para o tratamento de tendinopatia em todo o corpo. Não houve casos relatados de que o tratamento com ondas de choque tenha causado efeitos adversos graves.


Schmitz et al (2015) demonstraram que a terapia por ondas de choque é capaz de reduzir significativamente a dor e os sintomas quando comparada a outras técnicas de tratamento para a reabilitação da tendinopatia calcificada. Esta revisão sistemática observou 88,5% de sucesso, em relação à dor e aumento da função, quando o tratamento por ondas de choque foi utilizado. Uma outra revisão sistemática conduzida por Huisstede et al (2011) também refletiu esses achados.


A pesquisa de Pakos et al (2018) observou maiores benefícios quando as técnicas de injeção guiada por ultrassom foram usadas juntamente com o tratamento por ondas de choque para o tratamento da tendinopatia calcificada do ombro.


6. Quantas sessões e com que frequência você precisa de terapia por ondas de choque para tendinopatia calcificada?


A base de pesquisa atual recomenda a conclusão inicial de cinco sessões de ondas de choque com intervalo de uma semana. Isso pode ser aumentado para10 sessões se clinicamente apropriado e depende do sucesso dos tratamentos iniciais de ondas de choque. O tratamento por ondas de choque pode ser desconfortável, no entanto, a pesquisa de Schmitz et al (2015) afirma que, para resultados eficazes, deve ser aplicada a maior dose possível de ondas de choque tolerada pelo paciente.


Os parâmetros de tratamento recomendados na pesquisa são os seguintes:


Recomendação: Distribua 2.000 impulsos a 2,5 bar (densidade de fluxo de energia 0,12 mJ/mm2) a 8 Hz por três sessões em intervalos semanais ( Korakakis et al, 2017 ).


7. Quanto tempo leva para se recuperar da tendinopatia calcificada do ombro?

A recuperação da tendinopatia calcificada do ombro pode variar entre os casos. Não é incomum que os pacientes sintam alívio imediato após o primeiro tratamento com ondas de choque, no entanto, a maioria das pessoas encontra uma redução progressiva da dor e dos sintomas durante o período de tratamento. É crucial que a terapia por ondas de choque seja complementada com um programa de reabilitação progressiva elaborado pelo fisioterapeuta.



8. Você deve fazer uma ultrassonografia antes da terapia por ondas de choque?

Obter um diagnóstico preciso é extremamente importante, especialmente se houver suspeita de tendinopatia calcificada. O ultrassom diagnóstico é altamente eficaz e diagnostica a presença e localização de depósitos calcificados dentro dos tendões do manguito rotador e, portanto, o ultrassom deve ser usado para localizar a posição do depósito calcificado, permitindo um tratamento focado por ondas de choque.


Se você suspeitar que tem tendinopatia calcificada e/ou para descobrir se a terapia por ondas de choque é uma opção de tratamento eficaz para você, certifique-se de marcar uma consulta com um de nossos fisioterapeutas especializados.


Se você gostaria de marcar uma consulta ou gostaria de mais informações antes de reservar, ligue para 85 3246-1765.


Referências:

Chianca, V., Albano, D., Messina, C., Midiri, F., Mauri, G., Aliprandi, A., Catapano, M., Pescatori, L.C., Monaco, C.G., Gitto, S. and Mainini, A.P., 2018. Rotator cuff calcific tendinopathy: from diagnosis to treatment. Acta Bio Medica: Atenei Parmensis, 89(Suppl 1), p.186.


Huisstede, B.M., Gebremariam, L., van der Sande, R., Hay, E.M. and Koes, B.W., 2011. Evidence for effectiveness of Extracorporal Shock-Wave Therapy (ESWT) to treat calcific and non-calcific rotator cuff tendinosis–a systematic review. Manual therapy, 16(5), pp.419-433.


Pakos, E., Gkiatas, I., Rakkas, G., Papadopoulos, D., Gelalis, I., Vekris, M. and Korompilias, A., 2018. Calcific deposit needling in combination with extracorporeal shock wave therapy (ESWT): A proposed treatment for supraspinatus calcified tendinopathy. SICOT-J, 4.


Schmitz, C., Császár, N.B., Milz, S., Schieker, M., Maffulli, N., Rompe, J.D. and Furia, J.P., 2015. Efficacy and safety of extracorporeal shock wave therapy for orthopedic conditions: a systematic review on studies listed in the PEDro database. British medical bulletin, 116(1), p.115.

341 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Tratamento de hérnia de disco em Fortaleza

Principais especialistas de hérnia de disco em Fortaleza O que é uma hérnia de disco? Os discos nas costas funcionam como uma almofada de borracha entre as vértebras (ossos) que compõem a coluna. Eles

bottom of page